ARTE – POESIA – VLADÍMIR MAIAKÓVSKI

 

“NACOS DE NUVEM”

No céu flutuavam trapos

De nuvem – quatro farrapos;

do primeiro ao terceiro – gente;

o quarto – um camelo errante.

A ele, levado pelo instinto,

no caminho junta-se um quinto.

De seio azul do céu, pé-ante-

pé, se desgarra um elefante.

Um sexto salta – parece.

Susto: o grupo desapareçe.

E em seu rasto agora se estafa

O sol – amarela girafa.

1917-18

( Tradução de Augusto de Campos )

O grande poéta Moderno da Russia desenvolveu uma obra extrema e revolucinária tanto na forma como nas idéias que defendeu. Incorporou a linguagem do dia a dia, não se poupando em criar construções vocabulares inusitadas junto à crítica e a sátira.

” NÃO HÁ ARTE REVOLUCIONÁRIA SEM FORMA REVOLUCIONÁRIA “

VLADÍMIR MAIAKÓVSKI - 1913

VLADÍMIR MAIAKÓVSKI - 1913


This entry was posted on quinta-feira, dezembro 24th, 2009 at 15:18 and is filed under Arte Moderna. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply