ARTE – POESIA – STEPHANE MALLARMÉ – 1842 – 1898

 

Mallarmé, além de ser um dos criadores da Poesia Moderna, foi um grande pensador e incentivador. Nas reuniões que promovia as terças feiras em sua casa discutia-se de tudo – especialmente divagando suas considerações sobre Arte e seu futuro – André Gide, Rimbaud, Oscar Wilde e o pintor Degas eram, entre outros grandes artístas, assíduos destas reuniões.

Seu poema – ” Prélude à L´aprés-midi d`un faune “, de 1876 – o qual reproduzimos a seguir o início ( com a “Tridução” de Décio Pignatari,  - desencadeou a primeira experiência de arte multidisciplinar da Arte Moderna, através do poema ( de Mallarmé ), Música de Claude Debussy e Dança com Vaslav Nijinsky.

L`APRÉS-MIDI D`UN FAUNE

A tarde de verão de um fauno

A tarde de um fauno

A sesta de um fauno

Églogue

1876

Quero perpetuar essas ninfas.

                                                                       Tão claro

Essas ninfas eu quero eternizar.

                                                                            Tão leve

Vou perpematar essas ninfas.

                                                                     É tão claro

É o rodopio de carnes que ele gira no ar

É a sua carnação, que ele gira no ar

Seu ligeiro encarnado a voltear no ar

Entorpecido de pesados sonos.

                                                                         Sonho?

Sonolento de sonhos e arbustos.

                                                                               Foi Sonho?

Espesso de mormaço e sonos.

                                                                        Sonhei ou … ?

 


This entry was posted on terça-feira, janeiro 12th, 2010 at 12:36 and is filed under Arte Moderna. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply