ARTE – POESIA – RUBÉN DARÍO – 1867 – 1916

ARTE EDUCA


Félix Rubén Garcia Sanniento foi um Poeta Nicaraguense. Considerado o pai da Poesia Moderna em língua espanhola, Darío teve forte influência da poesia romântica de Victor Hugo e da poesia Simbolista de Paul Verlaine. De ambos herdou a destreza do verso profundo e sensualizado. O resgate de sátiros, ninfas e centauros povoam o universo erótico da sua poesia, trazendo do passado uma das chaves do modernização do poema moderno – as forças vitais da expressão humana. Seus primeiros livros ” Epístolas y poemas ” ou ” Primeira Notas ” de 1885 publicado em 1888, ” Rimas ” e Abrojos ” de 1887, já apresentam inovações românticas na temática, embora com métrica clássica. Com a publicação do livro ” Azul…” em 1888, considerado o desencadeador da poesia moderna hispanoamericana, vemos claramente a preocupação com os males do seu tempo de ordem crítica e espiritual, como mais uma característica modernizadora. Em ” Prosas profanas y otros poemas ” de 1896, o poema já se encontra pleno dos apelos do sonho e da fantasia em torno da temática sensual-erótica. Seguem-se ” Canto de vida y esperanza ” de 1905, caracterizado pelo intimismo reflexivo e crítico. Podemos ainda citar suas obras posteriores como ” Ode a Mitre ” de 1906, ” El canto errante ” de 1907, ” Poema del otono y otros poemas ” de 1910, ” Canto a la Argentina y otros poemas ” de 1914 e ” Lira póstuma ” de 1919. Em prosa podemos citar sua produção crítica reunida no livro ” Los Raros ” de 1896.

RUBÉN DARÍO
RUBÉN DARÍO


This entry was posted on terça-feira, setembro 27th, 2011 at 17:17 and is filed under Arte Moderna. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply