ARTE – POESIA – EMILY DICKINSON – 1830 – 1886

ARTE ACORDA O OLHAR

MATR脥CULAS ABERTAS PARA O CURSO DE ARTE MODERNA EM PARIS E VIENA

OS INTERESSADOS DEVEM ENVIAR SEU NOME COMPLETO E TELEFONE PARA CONTATO PARA O E-MAIL luilopreti@hotmail.com

OU ENTRAR EM CONTATO DIRETO COM A OPERADORA NOS TELEFONES ( 011 ) 2157 4418 OU ( 011 ) 2848 9848 ( FALAR COM ALEXANDRE ) – PARA INFORMA脟脮ES SOBRE O ROTEIRO E PROGRAMA CONSULTE A TERCEIRA MAT脡RIA ABAIXO NESTE SITE.


Emily Elizabeth Dickinson foi uma Poeta dos EUA. Cursou o South Hadley Fermale College, abandonando o curso um ano ap贸s seu ingresso, recusando-se a declarar sua f茅. Passou a publicar seus poemas em 1856 na forma de ” fascicles “, produzidos e encadernados a m茫o. Produziu mais de 1800 poemas, nunca publicados oficialmente em livros e escreveu mais de 1000 cartas. Moderna demais para os padr玫es do seu tempo, Emily antecipa a libera莽茫o feminina, antevendo nos poemas a quebra de paradigmas que caracterizaria todo o s茅culo XX. De um lirismo profundo, aliado a um discurso direto e palp谩vel 茅 considerada uma das maiores poetas de todos os tempos. Sua obra s贸 foi publicada pela primeira vez quase 100 anos ap贸s sua morte, em 1′955, organizada por Thomas H. Jonson.

EMILY DICKINSON - 1846/47.

EMILY DICKINSON - 1846/47.

POEMAS

UMA PALAVRA MORRE

QUANDO FALADA

ALGU脡M DIZIA.

EU DIGO QUE ELA NASCE

EXATAMENTE

NESSE DIA.

————————————–

PARA FAZER UMA CAMPINA

BASTA UM S脫 TREVO E UMA ABELHA.

TREVO, ABELHA E FANTASIA.

OU APENAS FANTASIA

FALTANDO A ABELHA

———————————————

DIZEM QUE O TEMPO AMENIZA

ISSO 脡 FALTAR COM A VERDADE

DOR REAL SE FORTALECE

COMO OS M脷SCULOS, COM A IDADE.

脡 UM TESTE NO SOFRIMENTO

MAS N脙O O DEBELARIA

SE O TEMPO FOSSE REM脡DIO

NENHUM MAL EXISTIRIA.

————————————————–

LOUCURA 脡 RAZ脙O SUBLIME

PARA UM OLHO PERSPICAZ.

MUITO JUIZO 脡 PURA

E SIMPLESMENTE LOUCURA.

A OPINI脙O DA MAIORIA

NISTO E EM TUDO PREVALECE.

SE CONCORDAS, 脡S SENSATO.

DISCORDANDO – 脡S PERIGOSO.

E ACORRENTADO NO ATO.


This entry was posted on segunda-feira, junho 6th, 2011 at 11:53 and is filed under Arte Moderna. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

Leave a Reply