ARTE – POESIA – GUILLAUME APOLLINAIRE – 1880 – 1918

 

ARTE É VITAL!

MATRICULAS ABERTAS PARA O CURSO INTERDISCIPLINAR DE ARTE MODERNA E PARA A AULA DE ARTE BRASILEIRA EM SANTOS

MAIS INFORMAÇÕES NO

luilopreti@hotmail.com

 

Guillaume Apollinaire foi Poeta, Dramaturgo, Critico de Arte e Agitador Cultural Moderno Frances. Nasceu em Roma com o nome de Wilheim Apolinário de Kostrowitzky e educado em Mônaco. Migrou para Paris e adotou o nome de Guillaume Apolinaire. Foi um dos mais notáveis poetas Modernos, cumprindo a função de cupido entre as Artes,  reinando absoluto em Montparnasse com seus amigos Pablo Picasso, André Breton, André Derain, Blaise Cendrars, Jean Cocteau, Alexandra Exter, Erik Satie, Marcel Duchamp, entre tantos outros artistas da vasta plêiade das Artes.

Em 1911, foi preso acusado de roubar a Mona Lisa e solto em seguida. Lutou na I Guerra e foi ferido em 1916, publicando em seguida a peça teatral ” Les Mamelles de Tirésias “. Sua obra abrange Poesia: ” L`pourrussant enchanteur “ de 1909 contendo seus primeiros poemas, ” Alcools “ de 1913 que consagrou seu trabalho, caracterizado pelas liberdades simbolistas mais as inovações estéticas conquistadas pelas Vanguardas Modernas.

Em 1913, publicou o ensaio ” Les Peintres Cubistes “, movimento que tinha ajudado a se concretizar e tambem apelidou de ” Orfistas “, os primeiros artistas abstratos como Robert Delaunay. Apollinaire foi responsável ainda,  pela criação da palavra ” Surrealista “ para definir a Vanguarda de André Breton. Em Poesia, sua última publicação foi ” Calligrames “ de 1918 contendo uma coletânea de poemas concretos e outros do período da Guerra. Entre sua Prosa temos ” Mirely ou le Petit Trou pas cher “ de 1900, ” Que faire? ” , ” Les Onze Mille Verges “ de 1907 ( livro proibido na França até 1970 ), ” Les exploits d`un Jeune Don Juan “ de 1911, ” Le Poéte Assassine “ de 1916. Para Teatro escreveu ainda, ” La Bréhatine Screenplay “ de 1917 e ” Coleurs du Temps ” de 1918.

 

GUILLAUME APOLLINAIRE

GUILLAUME APOLLINAIRE

 

GUILLAUME APOLLINAIRE - A GRAVATA,  1917.

GUILLAUME APOLLINAIRE - A GRAVATA, 1917.

 

GUILLAUME APOLLINAIRE - POEMA CALIGRÁFICO,  1917.

GUILLAUME APOLLINAIRE - POEMA CALIGRÁFICO, 1917.

 

GUILLAUME APOLLINAIRE - POEMA CALIGRÁFICO,  1917.

GUILLAUME APOLLINAIRE - POEMA CALIGRÁFICO, 1917.

 


This entry was posted on quarta-feira, setembro 15th, 2010 at 17:17 and is filed under Arte Moderna. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

2 Respostas to “ARTE – POESIA – GUILLAUME APOLLINAIRE – 1880 – 1918”

  1. luiz Says:

    oi tio testando mande um retorno,para eu saber

  2. lopreto Says:

    Oi Lóis!….tudo bacana?!
    Feliz 2011!
    Ta funcionando sim – por aqui podemos falar na boa!
    Beijão em todos – estive com o Felipe – ele está ótimo!

Leave a Reply